quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Reunião Dombosquina: Presente!

Boa noite, pessoal! E agora, com todo respeito às incautas presentes... “Chuuuuupa! Chupa que a cana é doce...”, no bom dizer do sábio Silvio Luiz!

Que noite emocionante esta de hoje, hein? Reunião das nossas turmas do terceiro ano, 22 anos depois... Realmente emocionante... Tanto que estou me sentindo estranhamente como se tivesse, de novo, com 17 anos – mas não por causa de nenhuma nostalgia em particular, não, mas porque eu tenho que voltar pra casa antes da meia-noite, que minha mãe está me esperando! Sim, era isso ou eu sequer poderia estar aqui hoje, uma vez que estou sem babá e não tinha com quem deixar as três crianças... Fazer o quê, algumas coisas nunca mudam, não é mesmo?! A não ser a gente, “classe macha” daquela época: “pelo amor de meus filhinhos”, no que diabos a gente se transformou, hein?! Tudo careca, barrigudo e pelancudo... Sim, porque tirando Cristiano e Alan, só quem se conservou de lá pra cá foram as meninas: mesmo algumas já mamães hoje em dia, incrível como vocês, garotas, continuam lindas e nós, os homens, uns cacos!

Eu já estava para ir embora e fizeram questão de um stand-up, só que não posso, pessoal, eu realmente tenho que ir... Senão a gente ficaria aqui fazendo aquelas imitações de nossos mestres inesquecíveis, a noite inteira... Ah, que diabos, mamãe que espere – impossível não lembrar os mais saudosos: “All right, pessoal?!”... Isso, isso mesmo, Josemar, grande professor de Biologia... Hein? Se sêmen engravida?! “Bom, isso depende de por qual lugar vai entrar, all right? Ram, ram, ram...”, ai, ai, grande Josemar... Pois é, né, ele morreu... Imitar quem? Valdivino? Não tenho referência agora... Eu me lembro de Leila “Nabucodonosor”... Ela morreu? Não sei, não sei... Quem não se lembra de Waldiney, de Matemática?... Como é que é, ele morreu também...?! Não, aí vocês já estão de avacalhação com meu número, pô, matando todo mundo...! Assim não tem mais imitação!

Mas, sinceramente, eu tenho que ir, uma pena eu não poder ficar mais: a comida e a bebida estão ótimas – e, o que é melhor, gratuitas! Vantagem de ser casado com uma ex-aluna dombosquina: não se paga a entrada do acompanhante! Muito bacana também ter dançado um pouquinho ao som dos velhos hits dos anos 90... Confesso ter sentido falta de clássicos como “Chinelada na barata da vizinha”, mas a festa, sem brincadeira, está ótima! Eu sei, eu sei: primeiro reencontro de que participo e tenho que sair tão cedo, né? De fato, eu nem viria, como sempre, mas não pude recusar ao convite de dois amados, Luciano e Cristiano: puxa vida, “Luizão” me ligou convidando pra cá, rapaz – Luciano Luizão, a lenda! Nem sabia que esse cara ainda existia, tão difícil que ele é, a gente só se encontrando uma vez por ano pelos shoppings quando da vinda dele a passeio com a família, porque ele é pior do que eu, que não tenho Whatsapp: ele não tem nem Facebook! Foi ele quem criou aquela história de me chamar de “Wolverine”, logo eu, o mais pacífico... Acho que por causa daquele desenho animado dos X-Men que fazia sucesso na época da TV Colosso... Fui longe, eu sei, mas por Luciano vale a pena: adoro esse cara, de verdade!

Mas, não há como negar, há um motivo maior para eu estar aqui esta noite e ele se chama Cristiano Barroso, uma salva de palmas para o nosso anfitrião desta noite, pessoal! Isso mesmo, esse cara, Cristiano... Um irmão pra mim, né, Cristiano?! Ele me convidou inbox, mesmo nem sendo meu contato no Face... Poxa, nunca me esqueço de quando nos reencontramos após anos do fim do Segundo Grau, hoje Ensino Médio: foi num shopping, lembra disso, rapaz?! Eu vi uma confusão danada, o pula-pula sendo isolado por seguranças, para que só a filha daquele magnata pudesse brincar, e eu perguntei “De quem se trata, quem é o ban-ban-ban: Tony Stark? Bruce Wayne? Nada, era o ricaço do Cristiano! Brincadeira, brincadeira... Ele estava lá, sim, no pula-pula, esperando a filha sair e eu levando a minha, ao lado de Jandira, quando o avistei e cheguei todo efusivo “Cristiaaaano, rapaz, há quanto tempo!”, com a mão espalmada no ar para um grande aperto no melhor estilo parceirão, e ele: “Ah, oi. E aí?”... Mas hein?! Fiquei meio sem graça, mas, dada a irmandade, mantive-me no mesmo ritmo: “E aí, cara?! Casado? Só tens essa? Olha só, eu me casei com Jandira, que barato, né, colega nossa de turma...!”, e ele, o que é pior, também se manteve na mesma: “Ah, sim: acho que eu me lembro dela.”... Tu te lembras disso, Cristiano?! Meu irmão... De qualquer forma, aviso logo: eu não vou pagar o estacionamento – tu és o dono do lugar, caramba!

Brincadeira, pessoal, não quero ser indelicado com o dono da festa, deste hotel maravilhoso e de metade do patrimônio de São Luís, brincadeira, mesmo: ele é meio desligadão assim, mesmo, mas é a tal coisa: todos fomos muito próximos, uns mais, outros menos, mas aquela época ficará eternamente em nossos corações, com todas as brincadeiras e sonhos de nossa última época de inocência... Amei encontrar gente como "Geraldão 94", Fabiano Mamede – os dois magnatas que bancarão a impressão do livro “Reminiscências dombosquinas”, vocês sabiam? –, “Gato-Foca” Eduardo, Silma, Gisele, Aurelice, Rosiane... Os amigos da outra turma, Sérgio e Eduardo... Parem tudo, meninas e meninos, que Andrei chegou, senhoras e senhores: aí não há apresentação que resista, teremos que interromper para esta entrada triunfante! Olha Stênio ali chegando também, rapaz: de Bacabal para a Alemanha e direto para São Luís, fazendo uma participação especial: agora vocês terão imitações do Professor Sidney, que Deus o tenha...! Um amor grande, viu, pessoal... Tanto que estou pensando seriamente em colocar o tal do Whatsapp no telefone só para entrar no grupo das piadas de duplo sentido da galera do mal, aí!

Valeu, de verdade, pessoal: pelo menos nessa apresentação, o amigo Geraldo prestou mais atenção do que na época do meu discurso como orador, na nossa formatura – de que ele só se lembra da abertura: "Corpos Docente e Discente do Colégio Dom Bosco, boa noite!" (e do final, "Saudades e Saudades", poeminha com que encerrei...)! Abraço no coração de todos, que já é hora, pois, por um minutinho a mais que seja, capaz de voltar mesmo ao passado e apanhar de mamãe, que está morrendo de sono e quer dormir na sua casa! Eu queria muito ficar mais, ter revisto mais gente: os professores Vieira e Augusto, meu amigo Fred, Fernandinha Moreira, Flávio Augusto, Henrique Spencer, que está no ‘Hellcife’... Também queria poder ficar mais... A gente segue, já, já é Natal, daqui a pouco, 2017... Mas o coração ficou em 94! Deixo vocês com Fabiano, com a palestra "A Importância do Amor, da Amizade e A Destruição das Famílias para As Drogas"! Até o próximo reencontro, nem que seja daqui a 22 anos, obrigado por tudo: pelo carinho de me manter vivo, manter aquele Dilberto vivo na lembrança...  Nem que seja em janeiro eu escreverei sobre esse encontro, podem deixar – as "Reminiscências Dombosquinas" não podem acabar!

A imagem pode conter: 16 pessoas, pessoas sorrindo

Amigos & Leitores

 

Google+ Followers

+ voam pra cá

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Quem linkou

Twingly Blog Search http://osmorcegos.blogspot.com/ Search results for “http://osmorcegos.blogspot.com/”
eXTReMe Tracker
Clicky Web AnalyticsBlogBlogs Join My Community at MyBloglog!Personal Blogs - BlogCatalog Blog Directory

Outras cavernas

luzdeluma st Code is Copyright © 2009 FreshBrown is Designed by Simran